Teatro

A Visita

Quando um homem do campo carregado de memórias, caminha solto no espaço, os seus pés de barro misturam-se com os dedos que se cavaram na terra. A harmonia é dissonante. No equilíbrio, ele parece cambalear, como se fosse voar. A melodia desse movimento, encontra o compasso no tropeço, como um corpo suspenso, que procura o gesto para sintetizar, a ideia que se perde no meio da palavra. Este é o corpo de António, o homem que visita, algures numa aldeia, o seu passado. A Visita, é uma delicada viagem pela vontade humana de viver e desejar a alegria, procurando-a no seu quotidiano e no diálogo com a natureza.

O Pai Que Se Tornou Mãe

O que é “dar à luz”? Quando pensamos em nascimento, pensamos em milagre, em luz, no ventre feminino em forma de lua à espera de “dar à luz”. Quando Mário e Maria, dois cavalos marinhos, decidiram ter bebés nunca imaginaram que a sua estória iria ser diferente.

O Peixinho Que Descobriu o Mar

Num aquário, a vida acontece entre quatro paredes de vidro… frio. Quando o sonho se esconde num desejo compulsivo, às vezes tomam-nos por loucos. Mas o desejo de liberdade alimenta os sonhos e Cristóbal, nunca desiste de acreditar. Há qualquer coisa dentro de cada um de nós que nos impele a perseguir os nossos sonhos, as nossas crenças. O universo inteiro dentro de uma caixa de vidro?

Estranhões e Bizarrocos

Jácome é um inventor. Mas quem o conhece bem, diz que também é um poeta, um sonhador, um revolucionário. A vida de Jácome, é muito simples, porque Jácome é um homem simples. Estranhões e Bizarrocos é uma estória sobre a amizade, sobre as complicações e a singeleza das relações humanas. Mostra-nos como depende de nós o desejo de nos compreendermos e aceitarmos. E que tantas vezes a amizade se esconde nas criaturas mais estranhas e inesperadas. E tudo aquilo que fazemos nos faz crescer e por isso é muito importante.

Morfeu, o Pregador de Sonhos

MORFEU, é uma personagem vinda do mundo dos sonhos que agora habita na Terra. Ele é um pregador de sonhos pois relembra às pessoas com quem fala, os sonhos que estão por realizar. O ator faz a sua apresentação, contando a sua estória a pequenos grupos ou famílias e vai repetindo, sempre que termina e encontra outro grupo. Cada apresentação demora cerca de 5 minutos. Durante o contar da estória Morfeu, constrói um fuxico e antes de o pregar à pessoa escolhida pede-lhe que segrede para o fuxico o seu sonho por realizar. Depois de um momento em que a pessoa se compromete com o seu sonho e Morfeu ele prega o fuxico à roupa e a apresentação termina.